quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016


Temporada 2016 | LM 1ª Etapa

A temporada 2016 do futmesa da Liga Metropolitana começou cheia de novidades. Marcada principalmente pelo retorno da tradicional “Série A”, com os 10 botonistas se enfrentando em pontos corridos e de uma única divisão de acesso contando com os demais botonistas na corrida pelas 4 vagas na “elite”, a 1ª etapa da Liga Metropolitana também acabou sendo o primeiro encontro “na mesa” para os botonistas da LM neste ano.

A expectativa de botonistas enferrujados e fora de ritmo foi aniquilada logo de cara, foi só o sino tocar para que os gols começassem a sair dando uma ideia do que será a disputa da Coroa de Prata nesta temporada. Muito equilíbrio, alto nível e competitividade foi o que se viu nas 2 séries ao longo da disputa.

Elite

Na Série A, a média foi de 9,7 gols por jogo, o recorde de gols foi o 8x7 repetido em 3 oportunidades, nos confrontos entre Rogerio x Luiz, Dalla Stella x Elds e Robertinho x Elds; Rogério teve o melhor ataque (56 / 6,2) e o melhor saldo (14 / 1,5), enquanto Denis teve a melhor defesa (37 / 4,1).



“Ice man” Dominando

Depois de deixar escapar o título do ano passado, com uma ausência na última etapa de 2015, Rogério começou 2016 mostrando que segue sendo um dos favoritos para esta temporada. O Campeão Mundial, venceu 7 dos 9 jogos, e poderia ter conquistado o título com 2 rodadas de antecedência não fosse sua única derrota, na 7ª partida, contra o Campeão Sulamericano Elds (5X4), mas o tropeço acabou não estragando a festa do Professor Rogério que contando com a ajuda de Robertinho que na mesma 7ª rodada, venceu o concorrente direto Denis (7x3) mantendo a diferença em 5 pontos; na oitava rodada, sem dar chance pro azar, Rogério venceu André Leal (7x3) e garantiu matematicamente o título da 1ª Etapa.

Faro, que havia perdido 2 das 4 primeiras partidas e passava desapercebido do grupo principal, acabou arrancando nas últimas rodadas sem perder mais, e garantiu o vice-campeonato. Denis apesar de chegar até a penúltima rodada brigando pelo título, caiu para o 3º lugar ao ser vencido por André Leal (6x4) e ser ultrapassado por Faro.

Elds com 5 vitórias fechou o G4, escaparam da degola Roberinho (14) e Pedro (13), e caíram para a Série B, Dalla Stella e André, ambos com 12 pontos, Luiz com 7 e Paulo Mantena com 3 pontos.




Acesso

A estréia da divisão acesso, ou Série B, agrupando todos os demais botonistas da Liga, foi a grande novidade do dia. Se, por um lado, o caminho até o topo fica mais curto sem que haja a necessidade de percorrer muitas etapas na subida, por outro, a competitividade aumenta, dos 25 botonistas que começaram a disputa, apenas 4 atingiriam o objetivo principal de chegar à Série A.

Nos Grupos B e D, os classificados passaram com certa tranquilidade, Ricardinho (21) e Barbosa (18) no B e Gonzo e Chico (ambos com 19) no D, classificaram-se sem perder pontos para seus adversários, decidindo o 1º lugar do grupo nos confrontos diretos. 

Nos Grupos A e C, a conversa foi outra, na A, Fabio Maia, Almo e Marco Antonio terminaram empatados com 16 pontos, decidindo as vagas no saldo, sobrou para Marco Antonio, que mesmo com a excelente campanha com apenas 1 derrota, acabou ficando pelo caminho. No Grupo C, chave que acabou tendo 2 WOs, 4 botonistas chegaram a última rodada com chances de classificação, mas os confrontos diretos no início da disputa acabaram decidindo a disputa a favor de Gabriel e Nilson que, com 17 pontos, passaram invictos aos play-offs, ao superar Bittencourt, Jefferson e Xavier.

Carreto dos Campos Gerais

Os 8 melhores partiram para a decisão, ainda faltavam 3 rodadas para a definição do campeão da Série B, mas obviamente, todos estavam focados na 1ª rodada, que decidiria quem jogaria a Série A na 2ª etapa.

Confrontos:
Fabio Maia 7x3 Nilson
Ricardinho 7x7 Chico
Gabriel 2x2 Almo
Gonzo 5x5 Barbosa

Com 3 empates em 4 jogos, falar do equilíbrio da disputa é desnecessário, Chico caiu invicto, Barbosa, Nilson e Almo, todos caíram com apenas 1 derrota, e os campeões dos grupos seguiram adiante em busca do título, com a vaga na Elite garantida.

Eram três atletas do Clube Verde na disputa, e nas semi-finais:

Gabriel 7x6 Fabio Maia
Ricardinho 7x5 Gonzo

Final:
Ricardinho 8x6 Gabriel
Fabio Maia 8x6 Gonzo

Depois de faturar o 2º e o 4º lugar na Série A, o Clube Verde carimbou também a dobradinha e o 4º lugar da B, com Fabio Maia conseguindo um lugar na “Van de PG” rumo ao Topo, parabéns ao Clube Verde pelo desempenho!

As demais posições decididas nos play-offs ficaram assim:

5- Chico (Sexta Bola)
6- Barbosa (Clube Curitibano)
7- Almo (Clube Curitibano)
8 -Nilson (Clube Curitibano)
9- Rubens (Sexta Bola)
10- Rosar (Sexta Bola)
11- Bittencourt (Racing)
12- Binhara (Clube Curitibano)
13- Marco Antônio (Ajax)
14- Jefferson (Racing)
15- Eliandro (Sexta Bola)
16- Raphael (Sexta Bola)
17- Duleba (Sexta Bola)
18- Prolico (Sexta Bola)
19- Luciano (Clube Curitibano)
20- Emerson (Ajax)
21- Gilberto (Clube Curitibano)
22- Xavier (Bangú)
23- Rato (Ajax)
24- Rosar Jr. (Sexta Bola)
25- Jean Stella (Sexta Bola)
26- Marquinho (Clube Curitibano) - WO


PÓDIO DA SÉRIE A


1º Rogério (Sexta Bola)
2º Faro (Clube Verde)
3º Dênis (Sexta Bola)
4º Elds (Clube Verde)


PÓDIO DA SÉRIE B


1º Ricardinho (Clube Verde)
2º Gabriel (Clube Verde)
3º Fabio Maia (Curitibano)
4º Gonzo (Clube Verde)


Matéria by Luiz Ricardo

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

VAI SER DADA A LARGADA PARA 2016!!!





CORRIDA DE PRATA DAS LIGAS, COMEÇA SÁBADO

É isso aí galera do futmesa paranaense. Finalmente chegou a hora de abrir a 10ª edição da Coroa de Prata. Liga Metropolitana e Liga União iniciam nesse final de semana mais uma temporada em que, ao final, conheceremos o campeão da Coroa de Prata de 2016.
Em breve será publicado no blog da FPRFM um painel com os campeões, ano a ano, desde 2007 da Coroa de Prata das Ligas.

A VOLTA DA SÉRIE A
O ano de 2015 foi atípico, desde a criação das Coroas de Ouro e de Prata em 2007, todas as etapas foram disputadas no formato de Open. Isso não caiu na graça da maioria, que reclamou o baixo número de etapas (foram só 5) e sentiu "saudade" da rivalidade e dos confrontos empolgantes existentes na disputa da Série A. Decidiu-se não pela volta das séries, mas sim pelo retorno apenas da Série A, com 10 participantes, como sempre foi, e o restante disputando a Série B, independente do número de participantes. Serão 7 etapas ao longo do ano, 5 com Série A + Série B e 2 no formato de Open. Veja na aba "Calendário" quando serão disputadas as etapas em 2016.

QUEM COMEÇA O ANO NA ELITE?
Os 10 primeiros colocados no ranking da Coroa de Prata de 2015 iniciam 2016 na Série A. Os demais disputarão a Série B, que dará 4 vagas de acesso, a cada etapa, para a disputa do topo, já os 4 últimos colocados da A, caem para disputar a Série B na etapa seguinte. 
Agora vamos conhecer quem são os 10 e o que conseguiram de resultado até hoje na Liga Metropolitana (LM). Antes, veja o que significa cada campo da ficha técnica dos participantes.




ELDS Thiago Godoy, do Clube Verde, foi o grande campeão da Coroa de Prata da LM em 2015. Venceu a 3ª etapa e foi vice na 5ª. Ultrapassou Rogério (Sexta Bola), que não compareceu à última etapa, deixando o caminho livre para o primeiro título de Elds. O ano de 2015 também trouxe outras conquistas para o capitão da equipe dos Campos Gerais, Elds foi campeão Sul-Americano e conquistou a Coroa de Ouro da categoria adulto da FPRFM. Fortíssimo candidato a brigar pelo bicampeonato.



ROBERTINHO, Clube Curitibano, começou 2015 parecendo que iria faturar sua 5ª Coroa de Prata, foi o campeão da 1ª etapa, mas acabou sucumbindo nas demais nos jogos de mata-mata e acabou se complicando na disputa do título. Mesmo assim, acabou em 2º Lugar. Robertinho, ao lado de Dênis, é o recordista em participações consecutivas na Série A, são 19 participações no total, aliás os dois detêm mais da metade dos títulos de etapas da LM, são 15 de Robertinho contra 17 de Dênis, somando 32 títulos em 63 etapas disputadas até hoje, ele também é o recordista em títulos da Coroa, foram 4 conquistadas entre 2010 e 2013. Robertinho é outro nome fortíssimo para brigar pela Coroa de Prata LM 2016.



No seu clube, Sexta Bola, ele é chamado de Professor. Já acostumado à categoria máster, onde foi bicampeão Brasileiro (2012/13) e vice em 2015, Carlos DALLA STELLA tem o status de um dos botonistas mais regulares da Liga Metropolitana. É o líder em participações de Torneios da LM, com 59 participações, apenas 4 vezes em 9 anos é que Dalla não esteve presente em uma etapa. Também é o 2º em participações na Série A, pois quase sempre está brigando por algum lugar no pódio. Foi 3º colocado na Coroa de Prata em 2015 e campeão da Coroa de Ouro da categoria máster. Sua regularidade o credencia a brigar por sua 2ª Coroa de Prata, Dalla foi campeão em 2009.



PEDRO Henrique Geronasso, ele que já foi intitulado como a "Joia do Sexta Bola", hoje é uma realidade. Campeão da 4ª etapa em 2015, acabou conseguindo sua melhor colocação até hoje, um 4º lugar na Coroa de Prata, mas ele quer mais. Os números ainda dizem pouco, de todos os participantes na Série A, nesta 1ª etapa de 2016, Pedro é o que menos vezes esteve na elite, só 3 vezes, tendo sido rebaixado em 2 delas. Mas isso foi em 2014, onde ele já deu mostras de que é só uma questão de costume, Pedro esteve no pódio na última etapa de 2014, ficando em 3º lugar em sua última participação na Série A. É aguardar para ver seu desempenho em 2016.



ROGÉRIO Nascimento, o ice-man, só dependia de si para conquistar o bicampeonato da Coroa de Prata em 2015, mas a ausência na última etapa fez com que o título fosse embora e ele terminasse em 5º lugar no ranking. Foi o único que esteve sempre entre os 8 em todas as etapas que participou em 2015, inclusive sendo campeão na 2ª e vice na 3ª etapas. Um dos botonistas mais técnicos, senão o mais técnico, da Liga Metropolitana, consegue brigar no topo, em alto nível, mesmo sem estar treinando. Portanto não há como não colocar Rogério entre os favoritos ao título da Coroa de Prata de 2016, quem sabe resgatando o título que lhe escapou em 2015.



Paulo MANTENA, o "fala muito" dos Campos Gerais. Não é espetacular, mas é ímpar, não tem igual. Divertido e irritante (em alguns momentos) ao mesmo tempo, falem bem, falem mal, mas falem de mim, esse é o Mantena. Em 2014 Mantena foi protagonista de um fato curioso, mas não inédito na LM. Foi campeão da Série A em uma etapa e na seguinte acabou rebaixado, para desgosto de Messi e cia. Em 2015 fez uma campanha regular, principalmente nas 3 últimas etapas, onde esteve presente entre os 8 consecutivamente.



O fundador e presidente de honra do Sexta Bola, hoje a equipe com maior número de integrantes em todo o estado do Paraná, quase não estaria presente na Série A, mesmo com sua vaga garantida. LUIZ RICARDO Machado, Ricardinho, como prefere ser chamado, pediu licenciamento da FPRFM em 2016, dizendo que voltaria ao longo do ano. Talvez sob o efeito de ter atingido a idade de máster, ou por motivos que às vezes desconhecemos, se disse não estar com tesão para atuar nas primeiras etapas. Mas, ainda em tempo, mudou de ideia e voltou atrás. Luiz, quando está inspirado, não toma conhecimento de nenhum adversário. Dentre os participantes que iniciam a Série A 2016, junto com André Leal, ainda não conquistou nenhum título de etapa da LM, quem sabe não é agora, quando até ontem nem relacionado estava?



Paulo Godoy, ou simplesmente FARO, teve um 2015 sem muito brilho. Somente na última etapa é que figurou entre os 8, ficando com o 3º lugar da etapa. Recentemente acostumado a estar no TOP 16 da categoria adulto no Campeonato Brasileiro, em 2015 teve que amargar a eliminação logo no 1º dia de Brasileiro, mas acabou compensando com o título da Extra (4ª Divisão). Foi um dos que mais lamentou a ausência da Série A em 2015, sorte que ainda se recuperou a tempo de figurar entre os 10 primeiros do ranking para começar 2016 na elite.


Putz, falar de si mesmo não é fácil, mas vou tentar separar o botonista do "cronista" e falar um pouco do que esperar de 2016. ANDRÉ LEAL não teve um 2015 para comemorar, ficou apenas uma vez entre os 8 numa etapa da LM, mas ainda assim garantiu presença na elite para 2016. É um dos mais assíduos botonistas da LM, sendo o 4º colocado em número de participações de etapas da liga e 6º colocado em participações na Série A. Em compensação, de todos que começam o ano na Série A, é o botonista mais vezes rebaixado para a B, foram 12 até hoje e ainda lhe falta um título de etapa, será em 2016?



Esse é o cara, Campeão Paranaense adulto em 2015, líder de boa parte das estatísticas da LM, é quem mais conquistou títulos (17), tem mais participações na Série A (39), divide com Robertinho o maior número de participações consecutivas na Série A (19) e nunca foi rebaixado para a Série B, na mesa. DÊNIS é especialista em Série A, mas por muito pouco não esteve fora da elite nessa 1ª etapa, uma vez que acabou empatado com Almo na 10ª colocação do ranking da Coroa de Prata em 2015. No fim, o próprio Almo abriu mão de qualquer disputa, seja sorteio ou jogo extra e Dênis ficou com a última vaga. Agora segurem o rojão, Dênis é um dos favoritos ao título da Coroa de Prata, seria sua 3ª conquista, ele que foi bicampeão da Coroa em 2007 e 2008.


"Eu tentei 99 vezes e falhei, mas na centésima tentativa eu consegui. Nunca desista de seus objetivos, mesmo que pareçam impossíveis, a próxima tentativa pode ser a vitoriosa." (Albert Einstein)







segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Curitiba, 08/02/2016

ESTAMOS DE VOLTA – QUE VENHA 2016!!!


É isso aí galera do futebol de mesa da Liga Metropolitana. O blog da LM está de volta em 2016, em parceria com os blogs da Federação Paranaense de Futebol de Mesa (FPRFM) e da Liga União (LU).

A LM EM 2016

Em 2016 a FPRFM volta a ser comandada pelo presidente Victor Heremann (LU) e a LM precisou se reestruturar, uma vez que com a Federação na capital, a mesma se confundia com a LM e a figura da Liga Metropolitana quase inexistiu nesses últimos anos. Agora, comandados por Vinícius Raul, o “Barbosa”, ou, para os mais íntimos Mumm Rá, o ser de vida eterna, a LM se prepara para novos desafios e conquistas em sua nova gestão. Brincadeiras à parte, Barbosa ainda assumiu a diretoria financeira e auxiliará Dênis na diretoria técnica. Elds Godoy, o Og dos Campos Gerais, será responsável pela Logística e Eliandro, com auxílio de André Leal (o que vos escreve) irão tocar a parte de Divulgação e Comunicação.

SENTA QUE LÁ VEM HISTÓRIA


O ano era 2004, o futmesa paranaense vivia uma época de “trevas”, a capital, o norte e até Ponta Grossa, estavam cada um na sua, isolados, não havia mais uma unificação da Federação Paranaense. O próprio “Campeonato Paranaense” de 2004 foi disputado em uma noite qualquer, como se fosse um dia normal de treino no Dom Pedro II e só entre o pessoal da capital. Vieram 2005 e 2006, anos de importantes mudanças nesse sentido. Luiz Carlos da Silva, o Filé, foi incumbido de criar um Grupo Gestor para tocar a Federação. Houve reaproximação com o Norte, tivemos Paranaense em Bela Vista (2005), Taça Paraná em Cambé (2006), passamos a ter um calendário, foram criadas as Ligas União (Londrina e região) e  Metropolitana (Curitiba e região), Victor e Jeferson Carvalho no norte e Luiz Carlos e André Leal foram figuras importantes nesse período de (re)adaptação, entre outros nomes que colaboraram muito. Em 2007, já sob o comando de Marco Antônio Coelho, o futebol de mesa paranaense finalmente passou para outro nível de organização. Foram criadas as etapas com Séries, instituídas as Coroas de Prata (para apontar o melhor de cada Liga) e de Ouro (para apontar os melhores de cada categoria no estado) e o calendário passou a ser unificado em todo o estado. De lá para cá alguns ajustes foram sendo feitos ano a ano, a presidência da Federação foi para o norte, com Victor assumindo a pasta e Ernani sendo seu sucessor, Fernando Rodrigues e Gabriel Giordano foram os próximos presidentes, com a Federação voltando para a capital e Paulo Duleba encerrou o mandato da Gestão de Gabriel, que entregou o cargo no final de 2014. Nas mesas, a disputa por séries passou a ser extremamente acirrada e o futebol de mesa paranaense viveu um período de grandes conquistas nacionais, entre 2008 e 2014 sempre tivemos um paranaense conquistando o Campeonato Brasileiro individual em alguma categoria. Robertinho conquistou um inédito tricampeonato consecutivo na categoria adulto (2009/10/11) e chegou a declarar que era mais difícil ganhar uma etapa da Liga Metropolitana, do que ser Campeão Brasileiro. Entre tantos outros destaques, tivemos a equipe do IVN (Londrina) sendo destaque nos Campeonatos Brasileiros por Equipes, sendo Campeã em 2011, Rogério sendo campeão Mundial, Dalla Stella sendo Campeão Brasileiro da categoria máster, tendo vencido todos os seus jogos e a promessa Gabriel Godoy, o melhor botonista de Ponta Grossa disparado, sendo tri-campeão Brasileiro Sub-15 (2012/13/14).

NOVOS DESAFIOS PELA FRENTE


Independente dos resultados conquistados, agora é hora da FPRFM e Ligas se reinventarem. No último ano as etapas foram disputadas no sistema de grupos (aberto) e esse ano a Série A estará de volta, na tentativa de tornar mais atrativa as disputas das etapas. Nos últimos 3 anos, a média de participantes nas etapas vem caindo e não tem apresentado capacidade de reação, como já houve em outros períodos. Dados da LM comprovam isso, conforme a série histórica com a média de participantes por etapa, desde 2007:

ANO
MÉDIA
2007
31,80
2008
27,38
2009
22,75
2010
25,50
2011
30,71
2012
29,88
2013
22,57
2014
23,43
2015
22,80

Ainda para piorar, os botonistas da capital estão sem local de treino desde o final de Out/15, já que o Dom Pedro II fechou uma parceria e precisou do espaço que era destinado ao futebol de mesa. Mas, graças ao incansável Paulo Roberto Duleba, um novo espaço será o local de treinos na capital, trata-se da Sociedade Internacional Água Verde. O espaço ainda não está liberado para os treinos, mas o contrato já está assinado e, mais do que nunca, a LM precisa dos seus botonistas para honrar a locação, uma vez que o valor ultrapassa o dobro do que era pago ao antigo local de treinos e etapas.

E TEM MAIS...


O post já está demasiadamente longo, mas aguardem, que ainda essa semana será publicado mais um post com o histórico dos campeões da Coroa de Prata da LM (em 2016 as Coroas entram em sua 10ª edição), os líderes em números de participações em etapas e participações na Série A e o perfil dos 10 botonistas que iniciam na Série A, na 1ª Etapa de 2016, a ser disputada no próximo sábado (13/02) no Clube Curitibano.



“Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso e trabalhar em conjunto é a vitória.” (Henry Ford)